terça-feira, 18 de julho de 2017

Parceria entre secretarias oferece educação de trânsito para alunos

Foto: Ascom SMTT
Ao menos 60 alunos, de 2 aos 5 anos de idade, do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Fúlvia Rosemberg participaram de uma manhã interativa, nesta terça-feria (18), voltada para a educação e segurança no trânsito. A parceria firmada entre a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) e Secretaria Municipal de Educação (Semed) possibilita a realização de atividades lúdicas com os alunos da rede municipal de ensino.

A ação foi movimentada e os alunos participaram de um imenso painel. No material, as crianças foram estimulados às práticas de segurança e de educação no trânsito. “Houve uma grande interação dos alunos. Percebemos, desde o início, o interesse deles na formação e esperamos contribuir para a educação dos futuros motoristas da nossa cidade”, declarou o diretor de Educação de Trânsito da SMTT, Arthur Otávio Lima.
As ações serão realizadas a cada 15 dias, em diferentes escolas da rede. Em cada etapa do trabalho, além dos alunos, os pais que se interessarem são orientados sobre as questões relacionadas ao trânsito, tanto na condição de pedestre quanto de condutor. A legislação de trânsito é discutida de forma lúdica e interativa com a comunidade escolar.
Ascom Semed/Delane Barros

Centro Municipal de Educação Infantil e Senac desenvolvem parceria

Numa parceria inédita, o Centro Municipal de Educação Infantil Profª Sônia Maria Souza Cavalcante (Cmei), localizado no bairro do Bom Parto, e o Serviço Social do Comércio (Senac), promoveram na manhã desta terça-feira, 18, a culminância do Projeto Integrador Cozinheiro.

Segundo a diretora do Cemei, Arlete Domingos, o projeto teve como objetivo contribuir com a formação dos alunos e futuros profissionais do Senac na elaboração e produção culinária. “Nossa creche foi contemplada pelo Senac no desenvolvimento desse projeto. Disponibilizamos toda nossa estrutura e o cardápio foi elaborado de acordo com as necessidades nutricionais, mediante a avaliação da professora nutricionista da nossa escola”, ressaltou a coordenadora.
Arlete disse também que todo o processo de elaboração do cardápio foi supervisionado pela Coordenação de Alimentação e Nutrição Escolar (Cane) da Secretaria Municipal de Educação, (Semed). “Foram observados pela equipe do Senac os hábitos alimentares na escola, estrutura organizacional da cozinha, produção de refeições e listas de insumos necessários para a execução do cardápio. Na execução foram escolhidas bananinha do mar, nhoque de macaxeira ao molho de melancia, sorvete de banana com farofa doce, bolinho de batata doce recheado com frango, bolo de fubá, entre outros pratos e sabores”, concluiu a diretora.

Para a coordenadora do Cane, Ana Carla Cavalcante todo produto utilizado nos cardápios das escolas municipais são provenientes da agricultura familiar. “Dessa forma estamos fortalecendo os pequenos produtores e contribuindo para a economia local”, complementou Ana Carla.


O projeto também permitiu a elaboração de um livro de receitas: sabores da infância além da doação de utensílios de cozinha ao Centro de Educação Infantil.
João de Oliveira Filho – Ascom/Semed

sábado, 15 de julho de 2017

Educação municipal leva 600 alunos a peça no Teatro Deodoro



Na última sexta-feira (14), 600 alunos de 10 escolas da Rede Municipal de Educação foram ao Teatro Deodoro para assistir à peça “Sonho de uma Noite de Verão”, um clássico do escritor Inglês William Shakespeare. Estudantes do 5º e 9º anos e da Educação de Jovens Adultos e Idosos (Ejai) participaram do momento e se divertiram ao longo da encenação.

De acordo com a coordenadora geral de programas suplementares da Secretaria Municipal de Educação, Edleuza Maciel, a noite se tornará inesquecível para os estudantes. “Nossos alunos estão tendo a oportunidade de conhecer o Deodoro, esse teatro que tem uma representação histórica grande para nós. Tenho certeza de que este momento ficará para sempre na memória deles”, ressalta Edleuza.
Aline Lemos, estudante do 5º ano da Escola Denisson Menezes, conta que foi sua primeira ida ao teatro e que gostou muito da programação. “Estou gostando de tudo. De conhecer o Teatro Deodoro e de estar com meus amigos para assistir à peça. É um dia muito especial”.
A diretora da Escola Municipal Selma Bandeira, Josilda de Lima, afirma que a iniciativa é importante e que os alunos ficaram felizes ao saber da visita. “Nossos alunos da Ejai são privados de muitas coisas, então, quando temos uma oportunidade como essa, abraçamos de imediato”, informou Josilda.
Ascom Semed

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Autismo é discutido em formação da Educação Especial


Formação com professores da Educação Especial.
Foto: Amanda Bezerra (Ascom Semed).

Professores da Educação Especial da Secretaria Municipal de Educação (Semed) reuniram-se, na manhã desta sexta (14), para refletir e discutir sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA). O encontro ocorreu no Centro Cultural Art Pajuçara, com a exibição do filme “O Cérebro de Hugo”.
“O Cérebro de Hugo” é um filme francês que aborda o TEA. É uma história, no formato de documentário, com depoimentos de pessoas com transtorno e, além disso, conta a trajetória dos tratamentos psicológicos e psicólogos que trabalharam com o autismo.
Formação com professores da Educação Especial.
Foto: Amanda Bezerra (Ascom Semed).
Após a exibição do documentário, as professoras Marileide Lins e Ednalda Zu, que atendem alunos com Transtorno do Espectro Autista, apresentaram relatos de experiência.
“Cada aluno tem sua especificidade. Através da observação e registro conseguimos entender suas necessidades para trabalhá-las em seguida. É muito gratificante ver o desenvolvimento do aluno, ouvir aquela primeira frase, ver ele conseguir sentar sozinho, resolver aquela operação matemática e fazer coisas que antes não fazia”, declarou Ednalda, professora da Escola Municipal Jaime Miranda.
Amanda Bezerra (estagiária) / Ascom Semed

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Cmei Luiz Calheiros recebe ações do projeto Escola Alerta


Cmei Luiz Calheiros recebe ações do Escola Alerta.
Foto: Amanda Bezerra / Ascom Semed
Ações de promoção à saúde, educação ambiental e sustentabilidade são as três prioridades do Projeto Escola Alerta, que  em seu terceiro ano de trabalho nas escolas da Rede Municipal de Educação, está expandindo suas práticas para os Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis). O pioneiro nesta modalidade foi o Cmei Luiz Calheiros Júnior, que recebeu o programa nesta quarta-feira (12).
Mais de 170 crianças, de 3 a 5 anos de idade, participaram das atividades do projeto, que foram adaptadas para atender aos pequeninos de forma mais lúdica, atendendo ao eixo “Interações e Brincadeiras” das Orientações Curriculares de Educação Infantil, sem perder o foco na mensagem de prevenção às doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti, outros insetos e verminoses.
A professora do Cmei, Adriana Leite, falou sobre a importância de trabalhar a prevenção desde cedo com as crianças. “Essas ações já contribuem para a construção da cidadania e para que estas crianças se tornem protagonistas na prevenção à saúde dentro da família, pois tudo que elas aprenderem aqui vão levar para casa e acabam conscientizando seus pais da importância de não deixar o mosquito nascer”, ressaltou.
Cmei Luiz Calheiros recebe ações do Escola Alerta.
Foto: Amanda Bezerra / Ascom Semed
Uma semana antes da ação na escola, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) realiza a formação com os funcionários da unidade de ensino para apresentar o projeto e propor que eles façam um plano de ação que será desenvolvido ao longo do ano em conjunto com as outras atividades da escola.
“No projeto contamos com a parceria da Secretaria Municipal de Saúde, onde são os agentes de saúde e de endemias que vêm a escola fazem oficinas sobre as características do sintomas, a prevenção, os tipos de tratamento. Além do pessoal do Centro de Controle de Zoonoses que trazem uma caixa entomológica e mostram os insetos e os tipos de doenças que eles podem transmitir”, destacou Virgínia Miller, técnica do Setor de Educação Ambiental e Sustentabilidade da Semed.
Cmei Luiz Calheiros recebe ações do Escola Alerta.
Foto: Amanda Bezerra / Ascom Semed
Outros parceiros do projeto são o Ministério da Saúde, que trabalha no combate às verminoses com os alunos, falando sobre os hábitos de higiene do corpo e dos alimentos, e a Superintendência de Limpeza Urbana (Slum), que trabalha a questão do descarte correto do lixo.
Amanda Bezerra (estagiária) / Ascom Semed

Escola Baltazar de Mendonça recebe projeto Guarda Faz Escola



A Escola Baltazar de Mendonça recebeu a 4ª edição do projeto Guarda Faz Escola. Ao longo desta quarta-feira (12), os 500 alunos da unidade participaram de oficinas de teatro, brinquedos, construção de jogos e tiveram palestras sobre as atribuições do Conselho Tutelar, Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e de educação financeira.
A coordenadora do projeto na Secretaria Municipal de Educação (Semed), Cecília Tenório, afirma que as atividades são realizadas com base nas orientações curriculares da Educação de Maceió. “Estas ações foram desenvolvidas e aplicadas em total consonância com as diretrizes curriculares implementadas pela Semed. Elas também contribuem para o aprendizado dos alunos”, ressalta Tenório.
A comunidade do entorno da escola também foi contemplada com serviços de emissão de carteira de trabalho, abertura para seguro desemprego e cadastro no Sistema Nacional de Emprego (Sine). Estas ações foram desempenhadas pela Secretaria Municipal de Trabalho, Abastecimento e Economia Solidária (Semtabes).
O Guarda Faz Escola é uma ação conjunta entre as secretarias municipais de Educação, Assistência Social, Economia, Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente, Turismo, Segurança Comunitária e Convívio Social, Trabalho, Abastecimento e Economia Solidária e Superintendência de Transporte e Trânsito.
Erick Nogueira – Ascom Semed

Semed realiza formação para secretários escolares



A Secretaria Municipal de Educação (Semed), por meio da Coordenadoria Geral de Normas e Legislação, promoveu, nesta quarta-feira (12), a primeira palestra do Ciclo de Formação Continuada para Secretários Escolares e Apoio Administrativo das escolas municipais. A formação acontece no auditório da Escola de Governo e Gestão Pública de Maceió (Emgesp) e tem como tema central “Legislação Escolar: um repensar sobre os entraves e avanços”.
Segundo a técnica da Semed, Maria das Graças Silva, o encontro tem como objetivo orientar na organizar de toda escrituração da secretaria escolar. “O regimento escolar norteia os serviços de registro dos alunos matriculados, arquivos e preparação de correspondência escolar”, disse.
Maria das Graças também esclareceu que o histórico escolar e o diário de classe, além de toda documentação dos alunos matriculados nas unidades de ensino, são de responsabilidade da secretaria da escola. “Nessa formação é passada para os cursistas a explicação de como utilizar toda essa documentação de escrituração da escola”, concluiu.
Conforme programação do ciclo de formação, os encontros seguem até o final do ano. Em agosto, a discussão é sobre escrituração escolar, formulários e credenciamento, em setembro será discutida a regularização da vida escolar dos alunos, no encontro de outubro os técnicos da Semed irão tratar do preenchimento do Sistema de Controle e Administração Escola (SisLame), software específico para o controle de matrículas, e em novembro, a discussão aborda as Resoluções do Conselho Municipal de Educação de Maceió.
João de Oliveira/ Ascom Semed

terça-feira, 11 de julho de 2017

Diretores de escolas discutem aplicação do Mais Educação


O auditório da Escola de Governo e Gestão Pública de Maceió (Emgesp) recebeu diretores das escolas do município que irão desenvolver as atividades do programa Novo Mais Educação, na manhã desta terça-feira (11). Na oportunidade, os representantes das unidades de ensino conheceram os detalhes do programa, executado pelo governo federal, através do Ministério da Educação (MEC), em parceria com os municípios.Esse é o primeiro encontro dos gestores das escolas da Secretaria Municipal de Educação (Semed), após o depósito de 60% da verba relativa ao pagamento dos monitores do programa.

O restante dos recursos será depositado até o final do ano, após decorridos pelo menos quatro meses do programa nas 27 escolas que desenvolvem o Mais Educação. A explicação é da coordenadora do programa na Semed, Edileuza Maciel. Ela explica que, para este ano, o Ministério da Educação (MEC) alterou o planejamento, a fim de desenvolver nos alunos a capacidade de aprendizagem, leitura, escrita e cálculo. “A mudança promovida pelo governo federal também atende à ampliação progressiva da permanência do aluno na escola, ou seja, garante a presença em tempo integral”, esclarece Edileuza.
Em Maceió, o programa funciona há nove anos e representa uma alternativa para melhorar indicadores educacionais na rede municipal de ensino da capital. São realizadas atividades de arte, cultura, esporte e lazer e a previsão é atender, esse ano, quase 5 mil alunos. Para este ano, o Novo Mais Educação terá a finalidade de reforçar o ensino das disciplinas de Português e de Matemática, a fim de contribuir com os resultados do Índice Nacional de Educação Básica (Ideb). Além disso, também são focados no programa a vulnerabilidade social dos alunos e a baixa aprendizagem.
Através do programa, os alunos passarão a receber 15 horas semanais de atividades extra-curriculares no contraturno escolar. “O programa tem uma imensa importância para os alunos, porque passam pelo menos 7h diárias na escola, o que contribui para a boa convivência, aproxima a comunidade da escola e oferece um reforço na formação desses alunos. O resultado é que torna alunos mais felizes e o impacto é reconhecido na melhora dos índices escolares, na redução da evasão escolar e no aumento da valorização do conhecimento”, ressalta Edileuza Maciel.
Ascom Semed/ Delane Barros  

domingo, 9 de julho de 2017

Rui garante recurso para recuperar escolas afetadas pelas chuvas


Rui Palmeira se reuniu com o ministro José Mendonça Bezerra Filho.
Foto: Luciano Freire/MEC
Nesta semana, o prefeito Rui Palmeira esteve em Brasília e solicitou a liberação de recursos para reparos nas 40 escolas que sofreram abalos estruturais, por conta das fortes chuvas registradas em Maceió. O gestor visitou o Ministério da Educação (MEC) e entregou um relatório em mãos ao titular da pasta, ministro Mendonça Filho.

“Foi mais um reunião proveitosa, porque o ministro Mendonça Filho assegurou o envio do recurso. Nós discutimos os efeitos das chuvas nas nossas escolas e ficou acertado que em breve o recurso chegará para possibilitar as obras de reparos o mais rápido possível”, pontuou o prefeito.
Rui esteve em Brasília para cobrar o recurso anunciado pelo Governo Federal no início de junho e que até agora não foi enviado. O líder do Executivo ainda reuniu-se com os ministros da Integração Nacional, Hélder Barbalho e dos Transportes, Maurício Quintella.
“O ministro Hélder Barbalho nos garantiu a liberação inicial de R$ 6 milhões referentes a cinco áreas absolutamente críticas na cidade de Maceió. Ficamos de fechar outras 20 áreas e encaminhar o relatório”, disse Rui.
Além de  voltar com a confirmação de que serão liberados R$ 6 milhões para obras emergenciais, o prefeito também discutiu a repactuação de convênios para execução de obras de mobilidade urbana em vias federais da capital.
Eberth Lins / Secom Maceió

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Semed participa de encontro do Programa Escola 10



Dezenas de profissionais da educação pública estadual e municipal participaram nesta sexta-feira (7), no ginásio da escola Estadual Princesa Isabel, no Cepa, do I Encontro de Socialização das Ações do Programa Escola 10, lançado em março deste ano. O evento teve como objetivo socializar os avanços dos municípios e promover um intercâmbio de ideias, através de apresentações, discussões e exposições de banners.
De acordo com Cheila Vasconcelos, articuladora do programa Escola 10 em Maceió, a proposta é mobilizar as secretarias envolvidas de modo que trabalhem em conjunto pela melhoria da educação pública e dos índices educacionais do estado. Ainda segundo a articuladora, a parceria com o Governo do Estado vem para potencializar as ações que a Secretaria Municipal de Educação (Semed) já desenvolve nas escolas da rede desde 2013.
“Consideramos de grande importância essa interação entre as secretarias no sentido de compartilhar os trabalhos que estão sendo realizados. Desse modo, podemos observar o que tem funcionado em outros municípios alagoanos, absorver essas iniciativas e tentar aplicar para a realidade de Maceió”, complementa Cheila.
O Programa Escola 10 integra a Coordenadoria Geral de Ensino Fundamental. Essa coordenadoria tem como missão assegurar assistência técnico pedagógica às escolas com o intuito de qualificar, monitorar e avaliar o processo de aprendizagem escolar. Somente em Maceió, 93 unidades de ensino com turmas do 1º ao 9º ano estão inseridas no programa, com envolvimento direto de 1302 professores.
Ascom Semed

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Direitos das crianças são discutidos em seminário internacional



Solenidade de encerramento do III Seminário Luso-Brasileiro
de Educação Infantil. Foto: Amanda Bezerra (Ascom/Semed).
Após discussões a respeito do cenário da educação infantil no Brasil e em Portugal, terminou na noite dessa quarta (05) o III Seminário Luso-Brasileiro de Educação Infantil, realizado na Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Na mesa de encerramento, as professoras Anete Abramowicz, da Universidade Federal de São Carlos, e Rosa Madeira, da Universidade de Aveiro, abordaram os direitos das crianças e educação infantil pública de qualidade.
A Secretaria Municipal de Educação (Semed), parceira e apoiadora do evento, esteve presente com mais de 240 profissionais que participaram da programação ao longo dos três dias. Eles apresentaram seus relatos de experiência da Rede nas sessões de comunicação oral e exposição de pôsteres. Nos corredores da Ufal, também estavam expostas fotografias que evidenciavam as experiências das crianças da educação infantil de Maceió.
Exposição fotográfica no III Seminário Luso-Brasileiro
de Educação Infantil. Foto: Amanda Bezerra (Ascom/Semed).
“O III Seminário Luso Brasileiro traz para Maceió um grande evento pedagógico da Educação Infantil. As discussões nos colocam no circuito de cidades com tradição e boas práticas para as infâncias, como os Centros Municipais de Educação Infantil de Maceió ”, destacou Angelina Araújo, coordenadora geral de Educação Infantil (CGEI) da Semed.
“A experiência de registrar e apresentar suas práticas em um evento acadêmico internacional nos faz compreender que uma nova forma de avaliar as práticas cotidianas do currículo da Educação Infantil da Rede de Maceió”, completou Angelina.
Amanda Bezerra (estagiária)/ Ascom Semed

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Projeto de Inclusão apresenta resultados nas escolas municipais


Reprodução: cortesia/Instituto Rodrigo Mendes
Foi divulgado o relatório de impactos do Projeto Portas Abertas Para Inclusão, referente às ações desenvolvidas no ano de 2016 nas escolas da rede municipal de Maceió. De acordo com o relatório do Instituto Rodrigo Mendes – idealizador do projeto em parceria com o Unicef e apoio da Fundação FC Barcelona -, foram impactadas 519 pessoas de oito escolas da rede, entre professores e estudantes com ou sem deficiência e familiares.

Os resultados positivos são oriundos de um trabalho desenvolvido em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação (Semed), que, por meio de cursos de formações continuadas para educadores, professores de educação física, gestores e técnicos da secretaria, colaboraram para uma sociedade mais inclusiva e, por consequência, igualitária e que valorize as diferenças.
Com periodicidade semanal, as formações continuadas aconteceram no decorrer de todo o ano de 2016, com duração total de 120 horas. Os conhecimentos apreendidos eram repassados para os alunos que desenvolviam atividades práticas dentro e fora da sala de aula, como dinâmicas de grupo, jogos e palestras, entre outras ações.
“A semente de inclusão pode ser lançada pelos docentes. Com subsídios, como o ‘Portas Abertas’, eles podem ir mais longe. A cada formação, quebram-se paradigmas e criamos um novo olhar”, declara Elizabeth Maria Laffitte, cursista da escola Edécio Lopes.
Para que o projeto tivesse êxito, o instituto realizou um diagnóstico a fim de identificar quais são as barreiras que impediam o processo de inclusão de alunos com deficiência naquela unidade de ensino. Desde então, cursos, palestras e oficinas foram planejados de acordo com as particularidades de cada contexto educacional.
A metodologia de ensino dos cursos sugere que cada participante desenvolva um projeto de ação na escola em que atua, visando transformá-la em um ambiente que respeita as diferenças humanas. Nesta última edição, foram apresentados quatro projetos. O relatório completo pode ser acessado em http://institutorodrigomendes.org.br/portas-abertas/files/relatorio_impactos_acessivel.pdf.
Escolas municipais participantes em 2016:
Rui Palmeira
Edécio Lopes
Nosso Lar I
Elizabeth Anne Lyra
Suzel Dantas
Sagrado Coração de Jesus
Cleto Marques
Deraldo Campos
Ascom Semed

Educação recebe orientação do FNDE, conclui planilha e aguarda recursos


As chuvas ocorridas no final de maio, e que vêm castigando Maceió nos últimos dias, ocasionaram vários danos às escolas municipais. Em virtude da recuperação da estrutura de 47 unidades atingidas, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) recebeu a visita de técnicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para habilitar os setores de infraestrutura e manutenção a utilizar o Sistema Integrado de Execução Monitoramento e Controle (Simec) através do módulo do Plano das Ações Articuladas (Par) com a proposta de aplicar a utilização correta dos dados nos sistema.
De acordo com o secretário-adjunto de Governança de Educação, João Carlos Barbirato, a liberação dos recursos para a recuperação das escolas que sofreram com as chuvas só será possível se todos as informações estiverem seguindo as exigências do MEC. “Assim que o Simec liberou o sistema para inclusão dos dados, nossa equipe começou a fazer sua parte. Alimentamos o Simec com informações, navegamos no sistema e tiramos todas as dúvidas. Como já tínhamos adiantado as planilhas dos serviços necessários, ficou mais fácil. A partir daí passamos a alimentar o sistema com dados reais”, afirmou o secretário.
Para agilizar a liberação do recurso, a Semed está com os dados completos das 47 escolas atingidas pelas chuvas no Simec, já para análise do MEC, e no aguardo da autorização do envio dos valores. Em Brasília, o prefeito Rui Palmeira tem reuniões marcadas com o FNDE para requerer o dinheiro prometido pelo governo federal para a Educação.
Assim que o recurso for autorizado, a Semed realizará serviços como os de reparação de teto, portas e janelas, e parte elétrica, além de pintura em geral. Os serviços estão orçados em mais de R$ 3 milhões. Nesta terça-feira (04), assessores do FNDE que estiveram com a equipe técnica da Semed elogiaram o trabalho de preenchimento do sistema (Simec) por Maceió, considerado por eles, um dos municípios que atendeu adequadamente os requisitos exigidos pelo Simec.
Ascom Semed/ Janaina Farias

terça-feira, 4 de julho de 2017

Maceió sedia seminário internacional sobre Educação Infantil


Solenidade de abertura do III Seminário Luso-Brasileiro de Educação Infantil. 
Foto: Amanda Bezerra (Ascom/Semed)

Teve início nessa segunda-feira (03), na Universidade Federal de Alagoas (Ufal), o III Seminário Luso-Brasileiro de Educação Infantil. O evento internacional, que conta com a parceria da Secretaria Municipal de Educação de Maceió (Semed), surgiu da necessidade de reflexão e discussão sobre múltiplos aspectos relacionados à educação das crianças nos diversos contextos e cotidianos.
Na solenidade de abertura, a secretária-adjunta de Gestão Educacional da Semed, Sílvia Cardeal, destacou a importância da parceria entre o Município e a Universidade para a construção de uma educação de qualidade. “É uma meta permanente da nossa Secretaria construir o conhecimento em todos os âmbitos. E nossos parceiros, inclusive a Ufal, têm sido fundamentais nessa caminhada. Um evento como esse é de grande importância para a formação e aperfeiçoamento de nossos profissionais da educação infantil”, afirmou.
Solenidade de abertura do III Seminário Luso-Brasileiro de Educação Infantil.
Foto: Amanda Bezerra (Ascom/Semed)
“É muito importante discutir os direitos da criança, que é o tema de uma das mesas do Seminário, na atual conjuntura política e econômica vivenciada pelo País. É em encontros como esse que fazemos a resistência, discutindo no presente o direito e a educação daqueles que são nosso futuro”, disse a reitora da Ufal, Valéria Correia.
O seminário é um fórum científico e pedagógico de discussão em torno da Educação de Infância/Educação Infantil, que objetiva contribuir para o fortalecimento da interlocução entre os mundos acadêmico e profissional, e da vertente da interação com a sociedade. O evento segue até quarta-feira (05) com a realização de mesas de discussão, mini cursos, sessões de apresentação oral e lançamentos de livros.
Práticas da educação municipal
“Políticas, currículo e avaliação na Educação Infantil” foi tema de uma das mesas de discussão, realizada nesta terça (04), que contou com a participação de Angelina Araújo, coordenadora de Educação Infantil da Semed, Maria de Lourdes Carvalho, representando a Universidade do Minho de Portugal, e Telma Vitória, representante da Ufal, coordenadas pela professora da Ufal, Elza Maria da Silva.
Mesa de discussão do III Seminário Luso-Brasileiro de Educação Infantil.
Foto: Amanda Bezerra / Ascom Semed
Em sua fala, Angelina Araújo apresentou um resumo das Orientações Curriculares para a Educação Infantil e fez um relato cronológico do desenvolvimento da educação infantil no município de Maceió. “Avançamos muito ao longo dos anos e as parcerias firmadas têm sido fundamentais para tal. Por isso agradeço à Ufal, ao Instituto C&A, à Plataforma de Centros Urbanos, ao Pnud e principalmente ao nossos professores e gestores”, ressaltou a coordenadora.
Amanda Bezerra (estagiária) / Ascom Semed

sábado, 1 de julho de 2017

Alunos da Escola Jaime Miranda visitam Palmeira dos índios



Neste sábado (01), a cidade de Palmeira dos Índios se tornou uma grande aula a céu aberto para os alunos da Escola municipal Jaime de Amorim Miranda, localizada no bairro de Santa Lúcia. A visita faz parte do projeto “O que é que Alagoas tem”, recém lançado nesta unidade de ensino com o intuito de despertar no estudantes o interesse pela cultura alagoana, sob diversos aspectos. O roteiro cultural foi guiado por professores e parceiros do projeto, com direito a conhecer pontos turísticos importantes como a Catedral Diocesana, Cristo do Goití, Academia de Letras e Casa Museu Graciliano Ramos.
De acordo com a professora da Jaime, Cláudia Calheiros, o intuito é promover conhecimento e aproximação dos estudantes com a cultura do estado. Com isso, resgatar a identidade e orgulho pela terra dos marechais. Aspectos sociais, culturais, geográficos e históricos serão analisados e vivenciados de forma crítica nas aulas de campo. Ainda de acordo com a professora, como resultado desse trabalho, será produzido um livro ilustrado com as cidades visitadas, que incluem, além de Palmeira, Marechal Deodoro e Penedo.
O Projeto O que é que Alagoas tem é resultado da parceria entre a Secretaria Municipal de Educação (Semed) e o Instituto Federal de Alagoas (Ifal). Neste primeiro momento, as turmas dos 8º e 9º da Escola Jaime Miranda participarão das atividades programadas, que ainda englobam palestras e oficinas temáticas.
Ascom Semed

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Seminário internacional discute práticas de educação infantil



Começa na próxima segunda-feira (3), na Universidade Federal de Alagoas (Ufal), o III Seminário Luso-Brasileiro de Educação Infantil. O evento representa um fórum científico e pedagógico de discussão em torno da Educação de Infância e Educação Infantil. O tema desta edição Seminário será “Políticas, Direitos e Pedagogias das Infâncias”. Serão discutidos os múltiplos aspectos relacionados à educação das crianças nos diversos contextos e cotidianos.
O encontro contará com a participação de servidores da Secretaria Municipal de Educação (Semed), entre coordenadores e gestores da Educação Infantil e Ensino Fundamental, bem como técnicos das duas etapas de ensino. Todos os que fizerem parte da programação irão receber certificado correspondente a 40 horas de carga horária.
A programação se estenderá até a quarta-feira da próxima semana, dia 5, e inclui palestras com professores e pesquisadores de renome nacional e internacional, como Ana Lúcia Goulart de Faria e Fernando Ilídio da Silva Ferreira, bem como minicursos e seminários. “Será um momento de formação de grande importância, pois tratará sobre políticas, direitos e pedagogias da infância com a abordagem de pesquisadores renomados do Brasil e do exterior. Além disso, também teremos apresentação de trabalhos e relatos de experiências de professores da rede e uma vasta programação”, explicou a coordenadora de Educação Infantil da Semed, Angelina Araújo, que participará da mesa redonda intitulada “Políticas, Currículo e Avaliação na educação infantil”.
A Secretaria Municipal de Educação também estará representada na abertura do evento, marcada para as 18h30 da próxima segunda-feira, dia 3.
Mais informações sobre o seminário podem ser obtidas aqui
Delane Barros – Ascom Semed

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Projeto leva lazer e conhecimento a estudantes



O Projeto O que é que Alagoas tem, lançado no mês de junho, segue nas unidades da Rede Municipal de Ensino. Os alunos da Escola Municipal Jayme de Amorim Miranda, na Santa Lúcia, vão, no próximo sábado (01), para a cidade de Palmeira dos Índios. O passeio inclui visitas aos museus de Graciliano Ramos e Xucurus, Catedral Diocesana, Cristo do Goití e Academia de Letras, além de oficinas e palestras. Ao todo, cerca de 80 pessoas, entre alunos, professores e coordenadores, participarão do roteiro cultural.
O intuito dos organizadores é promover conhecimento e aproximação dos estudantes com a cultura do estado. Aspectos sociais, culturais, geográficos e históricos serão analisados e vivenciados de forma crítica e consistente nas aulas de campo. Como resultado desse trabalho, os professores pretendem que seja despertado nos jovens o desejo pela escrita e leitura, tendo em vista que ao final do projeto será produzido um livro ilustrado.
O Projeto O que é que Alagoas tem é resultado da parceria entre a Secretaria Municipal de Educação (Semed) e o Instituto Federal de Alagoas (Ifal). Neste primeiro momento do projeto-piloto, apenas as turmas dos 8º e 9º da Escola Jayme Miranda participarão das atividades programadas. Antes de Palmeira dos Índios, os alunos conheceram as cidades de Penedo e Marechal Deodoro.
“O projeto é fundamental para resgatarmos nossa identidade cultural, proporcionar um conhecimento mais significativo e, com isso, e fazer com que o aluno sinta orgulho de ser alagoano”, disse a professora Cláudia Calheiros.
Thiago Guimarães (estagiário)/ Ascom Semed

terça-feira, 27 de junho de 2017

Educação participa de discussão sobre a Síndrome Congênita do Zika


Em audiência pública realizada nesta segunda (26), no auditório da Casa da Indústria, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) participou das discussões sobre as políticas públicas de atendimento às crianças com a Síndrome Congênita do Vírus Zika.
A audiência contou com a participação de várias autoridades estaduais e municipais, além de mães e seus filhos acometido com a Síndrome Congênita do Vírus Zika, que é o conjunto de sintomas provocados pelo vírus, entre eles a microcefalia, transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti ainda no período de gestação.
Na oportunidade foram apresentados os dados sobre o vírus e a síndrome no estado, em especial no município de Maceió, visto que a capital acaba recebendo a maioria dos casos. Foi aprovada uma carta compromisso para que os gestores possam assinar, se comprometendo a criar, incentivar e viabilizar políticas e ações de apoio às crianças portadoras da síndrome e seus familiares.
“Na audiência constatamos um número significativo de crianças que ainda não estão matriculadas em unidades educacionais. Então esses nomes serão encaminhados à Semed, que deverá realizar a matrícula dessas crianças nos Centro Municipais de Educação Infantil (CMEIs), garantindo a elas o direito a uma educação de qualidade, como qualquer criança tem”, declarou a coordenadora de Educação Especial da Semed, Ubiratânia Soares.
Foco na Prevenção
Além de atuar na formação de educadores especializados em acolher alunos da educação especial, que atendem, entre outros, os alunos portadores da Síndrome Congênita do Vírus Zika, a Semed também trabalha a prevenção das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti. Por meio do Programa Escola Alerta, a Secretaria realiza um programa de visitas às escolas onde são desenvolvidas atividades lúdicas e educacionais de conscientização no combate do mosquito transmissor da zika, dengue e chikungunya.
Amanda Bezerra (estagiária) / Ascom Semed

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Cartilha vai auxiliar na mediação de conflitos em sala de aula



A Escola Superior da Magistratura de Alagoas (Esmal), em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed), lançou, na tarde de quarta-feira (21), a Cartilha de Mediadores do Programa Cidadania e Justiça na Escola para a rede municipal de ensino. O lançamento contou com a presença do diretor da Esmal, desembargador Fernando Tourinho.


A cartilha foi elaborada a partir dos questionamentos dos profissionais da Educação durante o curso Mediação de Conflitos para uma Cultura de Paz, destinado aos gestores, coordenadores pedagógicos, assistentes sociais e professores das escolas contempladas com o Projeto Cidadania e Justiça na Escola. O curso aconteceu nos dias 29 e 31 de maio e 7 e 14 de junho, no auditório da Esmal, na Rua Cônego Machado, no Farol.

 Durante a solenidade de lançamento, o coordenador do programa Cidadania e Justiça na Escola, Hélio Pinheiro Pinto, disse que a grande importância do curso é ajudar a reverter o quadro de violência crescente nas escolas. “Nós temos consciência que o problema de conflitos na escola não é apenas de uma pessoa. As desigualdades sociais impulsionam essa violência e muitos desses conflitos são decorrentes dessa situação”, lamentou Hélio Pinheiro.
 Para a coordenadora pedagógica da Escola Municipal João Sampaio, Margareth Mota da Fonseca, as atividades artísticas podem contribuir com a sensibilização dos alunos para uma cultura de paz. “As artes contribuem não só para desenvolver a sensibilidade estética junto aos estudantes, como também aguça e estabelece relações de confiança, contribuindo com a cultura de paz”, ressaltou Margareth.

O curso foi ministrado pela professora Moacyra Rocha, mediadora com formação pelo Conselho Nacional de Justiça e professora da Esmal. “A ideia principal do projeto é criar – implantar e acompanhar, de forma experimental -, centros de mediação nas escolas inseridas no Programa Cidadania e Justiça na Escola, estimulando um ambiente colaborativo, a partir do hábito de diálogo e resolução de conflitos por meio de soluções apresentadas pelos próprios envolvidos”, destacou Moacyra. “O objetivo da construção dessa cartilha é partilhar informações acerca da mediação com as escolas, para que seja sistematizada, no ambiente escolar”, explicou a mediadora.

Estiveram presentes, durante o lançamento da cartilha, profissionais das escolas municipais Padre Pinho, Antídio Vieira, Kátia Pimentel Assunção, Haroldo da Costa, João Sampaio e da rede estadual, as escolas Teotônio Vilela, Edmilson Pontes, Dom Otávio, Ananias de Lima e Mota Trigueiros.
A cartilha está disponível na internet e pode ser acessada no endereço eletrônico: http://www.esmal.tjal.jus.br

João de Oliveira Filho – Ascom / Semed

Estudantes da Lindolfo Collor comemoram festas juninas


Já em clima de São João, os alunos da Escola Municipal Lindolfo Collor, localizada no bairro do Vergel, comemoraram os festejos juninos com os pais e professores, nesta quinta-feira (22). A festa matuta, intitulada “Arraiá das Alagoas”, envolveu cerca de 350 alunos, divididos nos dois turnos, que se divertiram ao som dos ritmos típicos nordestinos. A programação contou com apresentações culturais.


A vice-diretora da unidade, Mércia Fátima, disse que toda a decoração foi alusiva às comemorações dos 200 anos de Alagoas, confeccionada pelos educadores em parceria com a ex-coordenadora Lídia Sehmer. “Esse momento é uma oportunidade para que a escola interaja com os pais e comunidade, além de despertar nos alunos o interesse pela cultura regional desde muito cedo”, disse Mércia.

A celebração também teve sorteio de balaios e muitos quitutes à base de milho, produzidos na própria escola.

Thiago Guimarães (estagiário)/ Ascom Semed

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Encontro de Formação discute desafios da aprendizagem


Para fechar o ciclo do III Encontro de Formação Continuada com professores e gestores escolares da Rede Municipal de Educação, o formador Júlio Furtado ministrou palestra, na tarde e noite desta quarta (21), no auditório da Escola Municipal de Governo e Gestão Pública (Emgesp).

III Encontro de Formação Continuada.
Foto: Amanda Bezerra (Ascom Semed)
O desafio de promover a aprendizagem significativa em sala de aula foi o tema da formação apresentada aos professores dos 9° anos. Na ocasião, foram abordados alguns assuntos como a relação do professor com o aluno no ambiente de aprendizagem e as formas de apresentação do conteúdo em um contexto de descoberta.

“Diversificar a forma e os métodos de passar o conteúdo motiva a aprendizagem. Novidade e variedade ativam o sistema de recompensa do cérebro, isso aguça o cérebro do aluno a aprender de verdade. Lançar desafios em sala, por exemplo, faz com que a criatividade do aluno floresça pensando nas hipóteses que podem levar à resolução da questão”, disse Furtado.

III Encontro de Formação Continuada.
Foto: Amanda Bezerra (Ascom Semed)

O formador da Rede e professor de Matemática Romário Mendes, destacou a importância da formação. “Além de abordar as relações interpessoais, o professor Júlio, com toda sua experiência, traz sugestões metodológicas que ajudam no trabalho que os professores realizam em sala de aula. É um complemento bem enriquecedor daquele trabalho que já realizamos nas formações”, afirmou.

Angela Lima, professora de Língua Portuguesa da Escola Municipal Hévia Valéria, também aprovou a formação. “Esse momento é muito significativo, pois ele nos dá bastante dicas de como aprimorar nossa prática em sala de aula”, relatou.

Amanda Bezerra (estagiária)/ Ascom Semed


Semed apresenta projeto piloto de Autoavaliação de Escola



Com o objetivo de inserir a prática da autoavaliação institucional nas escolas da rede municipal de Maceió foi apresentado nesta quarta-feira (21), durante um encontro com diretores e coordenadores, na Universidade Tiradentes (Unit), o projeto piloto “AutoAvaliação de Escola: Avaliar para Intervir e Melhorar”.

A iniciativa conta com a parceira do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), que fará o acompanhamento junto com o setor de Avaliação Escolar para que a escolas possam desenvolver mecanismos facilitadores de processos de melhorias em todos os aspectos. A proposta foi apresentada inicialmente para nove escolas. Dessas, duas participarão ativamente do projeto. Ao final da experiência haverá uma socialização para as demais unidades rede.
O primeiro encontro foi definido pela coordenadora do setor de Avaliação Escolar, Patrícia Calheiros, como um momento de sensibilização das escolas pré-selecionadas. “Existem critérios pré-definidos para que aconteça a seleção e um deles, e mais importante, é a escola querer adotar o projeto. Por isso, hoje, realizamos o seminário para que as escolas presentes visualizem a proposta e como ela vai funcionar nesse primeiro ano de implantação”, explica.
Patrícia explica que o projeto de AutoAvaliação Escolar não é algo pronto. “Temos uma metodologia proposta para o projeto piloto, mas quem vai construir o projeto de autoavaliação é a escola. Será ela quem vai identificar seus pontos fortes e seus pontos fracos, a escola é quem vai dentro do seu cotidiano ter um olhar diferenciado”, afirma.
A coordenadora geral do Pnud, Rita Ipollito, afirma que a escola é um lugar de construção de conhecimento e avaliar faz parte desse processo. “Somente por meio de um processo de avaliação e autoavaliação escolar, com a participação de todos agentes envolvidos, é possível mudar rumos, por exemplo”, disse a gestora.
O projeto prevê ainda que a partir da autoavaliação a escola identifique seus pontos fortes, os problemas, as ameças, bem como as oportunidades para então traçar suas metas e planos. O “AutoAvaliação de Escola: Avaliar para Intervir e Melhorar” conta com o acompanhamento da Universidade Federal de Alagoas e da Universidade do Porto.
Ascom Semed/ Janaina Farias

Estudantes participam de oficinas sobre a cultura alagoana



Seguindo a programação do Projeto O que é que Alagoas Tem, alunos da Escola Municipal Jaime Miranda, localizada no bairro de Santa Lúcia, participaram, na tarde dessa terça-feira (19), de oficinas sobre a Cultura Alagoana.
O projeto objetiva despertar nos alunos da Rede Municipal interesses relacionados à história, culinária, religiosidade e riquezas naturais, além de promover visitas às cidades históricas do Estado. “Estamos trabalhando nesta tarde as oficinas de poesia, textos informativos, produção textual, formação de Alagoas em uma perspectiva arqueológica, pontos turísticos, manifestações culturais e culinária alagoana. A oficina de técnicas de pintura e colagem é orientada na produção de um livro a ser apresentado em uma noite de autógrafos a toda comunidade escolar”, disse a diretora da Escola Josimeire Branco Quintela.
Josimeire disse também que o Projeto envolve as turmas dos 8ºs e 9ºs anos e irá se desenvolver até o mês de setembro. “O Projeto conta com a parceria do Instituto Federal de Alagoas (Ifal) e todos os passeios são acompanhados por alunos do Curso de Gestão de Turismo do Instituto, campus Maceió”, informou.
Durante as oficinas, o mestre José Maria, oficineiro do Projeto, disse que Alagoas é o Estado com a maior diversidade de manifestações culturais populares. “Nosso Estado se destaca com seus 27 tipos de folguedos e danças populares que são fonte de referência para estudiosos e artistas de todo o País”, afirmou. “As baianas, o bumba-meu-boi, a cavalhada, o fandango, o guerreiro, pastoril, quilombo e reisado são os mais conhecidos folguedos que compõem o diversificado folclore alagoano”, acrescentou.
Dávyne Alice, aluna do 8º ano B, se mostrou entusiasmada com as explicações sobre o guerreiro alagoano. “Sempre gostei das nossas danças e escolhi essa oficina porque me identifiquei com o tema”, frisou a estudante.
As oficinas foram orientadas por professores da escola e técnicos da Secretaria Municipal de Educação (Semed), além de profissionais convidados.
João de Oliveira Filho/ Ascom  Semed

Gestores escolares da Rede Municipal participam de formação


Gestores das 138 escolas da Rede Municipal de Educação de Maceió participam do segundo momento de formação com o professor Júlio Furtado, no Centro Universitário Tiradentes (Unit). Nesta segunda etapa, a atividade com os diretores, vices e coordenadores pedagógicos será focada em “Liderança estratégica: o saber e o fazer do gestor educacional”, como especifica o tema.

A formação acontece desde a última segunda-feira (19) e segue até quarta-feira (21). Professores de Língua Portuguesa e Matemática do 5º e 9º ano e das demais matérias do último ano do Ensino Fundamental também serão contemplados, mas com a temática “O desafio de promover a aprendizagem significativa em sala de aula”.
De acordo com a coordenadora executiva do centro de formação Paulo Freire da Semed, Izabel Melo, o desenvolvimento da liderança é importante para gerar o engajamento de todo corpo escolar. “É preciso que as ações sejam compartilhadas por todos da escola e essa formação que aborda a liderança vem para instruir os gestores a criar maior engajamento do corpo escolar”, ressaltou.
A coordenadora-geral do Projeto Semed/Pnud, Rita Ippolito, afirmou que o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) está dando apoio técnico para a Secretaria Municipal de Educação (Semed) e acompanhando o processo de formação.
“A escolha dessa formação prática vem dos problemas que o gestor escolar enfrenta no seu dia a dia. A partir disso surge a necessidade de desenvolver as competências de gestão escolar. Essa formação é uma continuidade do grande esforço da elaboração do guia prático de gestão escolar”, colocou Rita.
Erick Nogueira/ Ascom Semed

terça-feira, 20 de junho de 2017

Nova estrutura garante qualidade do ensino em escola municipal


Escola Maria José Carascosa
Foto:Marco Antônio/Secom Maceió
Salas amplas e arejadas, biblioteca, refeitório, quadra coberta, banheiro com acessibilidade e piso tátil, essas são algumas das novidades encontradas na Escola Municipal Maria José Carrascosa, no Vale do Reginaldo, após a primeira grande reforma em 2016.

Essa nova estrutura reforça o comprometimento que a escola possui com o ensino de qualidade. Por isso, dois projetos estão andamento, o Acelera – do Instituto Ayrton Senna –que trabalha com as crianças já alfabetizadas, e o Se ligacom crianças não alfabetizadas. Os dois projetos trabalham com crianças que estão fora da sala de aula correspondente a sua faixa etária e procura desenvolvê-los de acordo com as suas especificações e devolvê-los às turmas corretas.
A comunidade escolar avalia de forma positiva os projetos acadêmicos desenvolvidos pela escola, o que contribui bastante para o desenvolvimento do alunado, segundo a coordenadora pedagógica, Neide Costa.
“Desenvolvemos trabalhos na biblioteca, sala de informática, laboratório de ciências e até na quadra de esporte. Tudo isso é motivador. Estou aqui desde 2006, entrei como professora e hoje sou coordenadora, lembrar como era antes, caindo aos pedaços, e ver tudo o que temos hoje, é muito incentivador ter uma nova estrutura para trabalhar”, frisou.
Desde sua inauguração em 2004, a unidade acadêmica não tinha passado por nenhuma reestruturação. Hoje, possui capacidade para receber 1.200 alunos, nos períodos matutino e vespertino, com o projeto de se tornar uma escola em tempo integral em breve.
Atualmente o corpo discente conta com 360 alunos, sendo 26 portadores de necessidades especiais, que são acompanhados por cuidadores, cedidos pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), de acordo com a necessidade de cada aluno. A diretora, Mariluce dos Santos,  conta que a nova estrutura permite dar um conforto maior para estes alunos.
“A escola já acolhia alunos com necessidades especiais antes, mas agora, com a nova estrutura, eles podem usufruir melhor de todos os espaços, o que colabora em muito no desempenho escolar, no crescimento cognitivo e pessoal”, frisou a diretora.
A unidade acadêmica está se preparando para começar a trabalhar com alunos no horário noturno e desenvolver o projeto Mais Educação, que irá transformar a Maria José Carrascosa em escola de tempo integral.
Cayo Borges / Secom Maceió